.mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. Uma senha pode fazer a di...

. Ciclo da vida - (errei de...

. Haja o que houver... será...

. Um estranho na minha casa

. Dá que pensar!

. Natal de crianças

. Era uma vez uma ursinha

. Libertação!

. sinais dos tempos

. letreiro - Atenção

. SABEDORIA INFANTIL

. ...

. Tão lindo que nem tem leg...

. Comportamentos estatais

. UBUNTU

.arquivos

.favorito

. 10 blogs para conhecer no...

. Sua presença basta

. Poema - Mais vale guardar...

.subscrever feeds

.Selos

CANCRO - Encontrem a cura,

antes que me cresçam

as maminhas!

.PENSAMENTO:

"A criança que já fui chora na estrada. Deixei-a ali quando vim ser quem sou.
Mas hoje, vendo que o que sou é nada, quero ir buscar quem fui onde ficou."
(Fernando Pessoa)

Domingo, 30 de Janeiro de 2011

Dá que pensar!

Não  tenho filhos e tremo só de pensar.
Os exemplos que vejo em volta não aconselham temeridades.
Hordas de amigos constituem as respectivas proles e, apesar da benesse, não levam  vidas descansadas.
Pelo contrário: estão  invariavelmente mergulhados numa angústia  e numa ansiedade de contornos particularmente patológicos.
Percebo porquê. Há cem ou duzentos anos, a vida dependia  do berço, da posição social e da fortuna familiar.
Hoje, não. A criança nasce, não numa família mas numa pista de atletismo, com as barreiras da praxe: jardim-escola aos três, natação aos quatro, lições de piano aos cinco, escola aos seis.
E um exército de professores explicadores,  educadores e psicólogos, como se a criança fosse um potro de competição.

 Eis a ideologia criminosa que se instalou definitivamente nas  sociedades modernas: a vida não é para ser vivida mas construída com sucessos pessoais e profissionais, uns atrás dos outros, em progressão geométrica para o infinito.
É preciso o emprego de sonho, a casa de sonho, o maridinho de sonho, os amigos de sonho, as férias de sonho, os restaurantes de sonho.
Não  admira  que, até 2020, um terço da população mundial esteja a mamar forte no Prozac.
É a velha história da cenoura e do burro: quanto mais  temos, mais queremos.
Quanto mais queremos, mais desesperamos.
A meritocracia gera uma insatisfação insaciável que acabará  por arrasar o mais leve traço de  humanidade.
Não deixa de ser uma lástima.
Se as pessoas  voltassem a ler os clássicos, sobretudo Montaigne, saberiam que o fim  último da  vida não é a excelência, mas sim a felicidade!

--------------------------------

Texto de João Pereira Coutinho

27/07/2007 

tags = temas deste blog - Clique em cima:
LauraBM às 23:55

link do post | E custa, comentar aqui?

R O D A P É


A não esquecer:

"Fala-se tanto da necessidade de deixar um planeta melhor para os nossos filhos e...

esquece-se a urgência de deixarmos filhos melhores para o nosso planeta."

==================

"Uma criança que aprende o respeito e a honra dentro da própria casa

e recebe o exemplo dos seus pais,
torna-se um adulto comprometido em todos os aspectos,

inclusive em respeitar o planeta onde vive..."

===================

.tags = temas deste blog - Clique em cima

. 00-avisos

. 000-direitos das crianças

. 01-dá que pensar

. 02-haja o que houver

. 03-histórias de crianças

. 04-infância-considerações

. 05-mundo das crianças

. 06-crianças e avós

. 07-as crianças e os pais

. 08-sinais

. 09-divertidos de crianças

. 09-piadas bd

. 10-diversos

. 10-escola triste

. 11-poemas-laura

. 12-natal das crianças

. 13-videos especiais

. todas as tags

.links